sexta-feira, 19 de junho de 2015

Alma Bordô


Alma Bordô

Bordou o nome teu ao meu em núpcias...
Ao cavalgar meu corpo além da linha do tempo
No seio das nuvens lambeu o vento em carícias
Deu-me asas d’ deusa delícias d’ninfa d’ Olimpo...


Desenhou-me letra utopista bordou monograma
Escreveu-me em sua realeza e monogamia
Bem agosto dos leões na liberdade do poema 
Pousou na mente fértil e aportou em poesia...

Transformou meus sonhos matizou d’ bordô
Com mel maravilhado das falanges d’um deus
Abordo fez carinhos sorriso e charme pornô
Assim esculpiu-me Zeus nu... Delírios meus...

Personalizou minha’lma riscou arabescos
Desenhou sua escultura em meus olhos
Estampou minha boca com eternos beijos
Despejou cultura em minha língua... Desejos...

No seu versejar me fez sedução de Afrodite...
O sempre lambejar do ventre da musa Calíope
Há eloquência nos lábios teus em me riste
Os dedos de prosa aos meus olhos míope...

Tanta inspiração ao dizer-me musa amada...
A vaidade maior é sentir-me tua verdade
Ter minhas alamedas nuas em terra decifrada
Timbrado bordô em código e relevo saudade...

Son Dos Poemas
SÓ Poesie

Nenhum comentário:

Postar um comentário