quarta-feira, 28 de outubro de 2015

A COR DO AMOR



A COR DO AMOR


Poder, moldado à sensibilidade, no cio, 
Que aviva os sentidos copulando, 
Na virilidade das mãos, 
Para em pleno registro do orgasmo, 
Salvar o sêmen, que se espalha, na forma de tinta, 
Abraçando o papel. 
Pequeno modelo da Criação, gerando emoção, 
Para a produção de novo Poema! 
Algo indescritível, qual passeio de animal livre,
Enquanto a força procria, entre os arbustos. 
Ou talvez, um pássaro em pleno voo,
Dividindo calor com o ninho; 
Esperança da nova prole.

Cler Ruvver

Nenhum comentário:

Postar um comentário