domingo, 25 de outubro de 2015

AUSÊNCIA DISFARÇADA




AUSÊNCIA DISFARÇADA


Cler Ruwer

O corpo acende,
O coração pulsa.
E bate descompassado,
Pressagiando o reencontro.
Já sente a presença,
Já sente até o calor.
Sente o toque das mãos,
Sente gosto e sabor.
Sente até mesmo o cheiro.
Da pele, o arrepio.
A miragem do olhar,
Vigiando a saudade.
Sente o sussurro da voz.
Sente frio...
Então envolve no abraço,
O próprio corpo, vazio.
Plaft!
Caiu uma lágrima.
Acordou!
Essa ausência disfarçada, 
De anjo ou querubim.
Que inventa mil travessuras,
E faz real a loucura, 
De sentir VOCÊ, em mim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário