quarta-feira, 28 de outubro de 2015

EX BOÊMIO






EX-BOÊMIO

Quis ter no mundo vida boa.
Empanturrar-me de delícias.
Viver de brisa, andar à toa;
Entregando-me às carícias.


Era ingênuo, sem malícias,
Não queria ser rei com coroa.
Dormia na chuva, ou na garoa,
E acordava com as patrícias.

Não via o tempo que corria,
Não via à noite, nem o dia.
Não apegava-me ao relicário.

Hoje, lembro-me do passado;
Ando apoiado num cajado,
Sem ver a luz do lupanário!

Roberto Jun

Nenhum comentário:

Postar um comentário