terça-feira, 27 de outubro de 2015

A Insustentável Leveza Do Ser




INSUSTENTÁVEL LEVEZA DE NÃO SER - 
SAGA DE MARINA...
.
Inflou-se, insuflou-se
e se foi...nem sal
nem doce...
de tão leve perdeu-se
no etéreo, e nem ,
sua leveza se sustentou...
A tênue rede de fios frágeis
partiu-se...,se içou no ar...
mas caiu...
Procurou nos Campos
abrigo e o campo não deu...
quis fugir para o mar...mas
não sabia nadar e afundou...
Sendo Marina, camuflou-se
de submarino e foi expiar
seus erros no fundo do mar...
Por não crer no real,perdeu
a fé em Deus...foi buscar
fé em Netuno e em Zeus...
para poder continuar,
sonhando um verde país...!
.
.
Baseado no poetrix (IN)SUSTENTÁVEL da poeta BETH JOY,grato
.ALKAS POETRY
26/10/15

Nenhum comentário:

Postar um comentário