quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Poesia Simples



Poesia simples

Como um cometa sem em desatino, 
Ou, brilhante estrela cadente,
Caístes em meu destino, 
Como um golpe de serpente................


Se o amor é dor que não se sente.
O ardor da ferida que ficou,
Deixou me muito descontente,
Porque jamais, no meu peito, sarou.........

Um bólido, que voa clandestino,
Fostes embora, num lampejo repentino,
Deixando. Em mim, um amor sincero.

Eu ficando a tua espera,
E, olhando a celeste esfera,
Quedo-me , inerte , e te espero...........

José Calderoni, 26 de maio de 2015, a 1,30 da manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário