sexta-feira, 6 de novembro de 2015

A POESIA DA VIDA





A POESIA DA VIDA

Dona Poesia, que és doce namorada,
Que és tão bela, e tão rica, minha deusa;
Desce do alto de quem és por realeza,
E me ames quanto a tenho por amada.

Conceda-me um só verso por grandeza,
Um poema de beleza inusitada;
Com que eu possa de sorte inesperada,
Fazer feliz a todos por empresa.

Que no seu canto se encante a dor doída,
E quem de triste se faça de contente,
E possa desse jeito enfim a vida;

Ser um fato de amor humanamente:
Que passe de tal modo embevecida,
Que não passe qual poesia de repente!

João Urague Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário