segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Sô do Tempo/Sô do Vento


Sô do Tempo/Sô do Vento

Sô do tempo onde nasce o vento...
Sou o som do substantivo próprio
Sou o número imparcial do conjunto
Sô teu adjunto meu singular colóquio

Sô o som da tua adivinhação loca
A transição da hora que crepusculejo
Sou todo o verbo no tempo da tua boca
O beijo n’alma n’palma que me dá molejo

Sou o vento tremulante no beiço em desuso
Os sonhos carnudos nos lábios basculantes
Sou o diamante no lusco-fusco difuso
Os fragmentos dos pensamentos coruscantes...

Sô o acorde chiado do fólio que vai e vem
A letra muda na variante do acordeão
O som mais afoito do desejo que tu tem
A Paz e Bem no caminho por intuição

Sô o som no coração do vento fragoso
O dia chuvoso no tempo uniforme e lívido
Seu doce sabor real no vinho bem licoroso
O amor plantado num cruzamento híbrido

Na tua voz de mel rouca meio ensandecida
Nos ramos das tâmaras mais adocicadas
Sô só o vento do silêncio ás lufadas
O pingo de orvalho ás manhãs borrifadas...

Son Dos Poemas 
Sônia M.Gonçalves



Nenhum comentário:

Postar um comentário