quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Deixa



Deixa...

Deixa que te fale
Do mundo, da vida
Das noites, da lua
Dos astros do céu...
Deixe que te fale
Da dor, da partida,
Dos pobres da rua
Do destino meu ...


Deixa que mergulhe
No teu peito aberto
Que te rasgue e morda
Teu Ego, teus mundos...
Deixa que mergulhe
No teu longe e perto
E num beijo sorva
Desejos profundos...

Deixa que possua
Teu corpo vibrante
No momento ardente
Sede de te amar...
Deixa que me inclua
Nesse ato constante
De um amor fremente
À noite, ao luar...

Deixa que por fim
Em explosão loucura
Se fundam sentidos
Ais, fluidos e cor...
E deixa que enfim
Sinta essa ventura
De nós dois unidos
Sermos um ... Amor!

Helena Fragoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário