domingo, 11 de outubro de 2015

Ausente



Ausente...
*
Hamilton Ramos Afonso
*
Sei de onde vieste, 
à minha vida aportaste, 
dando-lhe a cor 
e o perfume da tua vida ,
intensa ,
de alegria , 
sempre com um sorriso nos lábios,
um brilho de vida nos teus olhos ladinos...
...resposta pronta sempre nos lábios...


Recordo-me dos tempos
em que a conversa fluía , 
sem barreiras e tábus , 
almas desnudadas e vestidas de nós , 
marcas nossas em cada uma delas deixadas...

Não sei para onde te ausentaste ,
a gargalhada fácil que te saía da boca 
orlada de dois tentadores lábios ,
mostrando uma dentadura alvar e perfeita
calou-se , restando apenas o ténue eco 
que a saudade me devolve
e o brilho de vida nos teus olhos
deu lugar ao cinzento
e baço brilho da ausência...

Dias difíceis 
por não me teres sabido dizer
como se esquece alguém
que nos marcou daquela forma indelével, 
sem te preocupares com as cicatrizes
que deixaste, esquecendo porém 
que a força interior
que tanto admiraste em mim 
e te serviu , bastas vezes , para nela te ancorares,
fez o seu trabalho , 
ajudou a erguer-me , 
a sarar as feridas que deixaste
e a de novo caminhar em frente ,
cabeça erguida , 
sem ter sequer vontade de saber 
por onde andas ,
para onde te ausentaste...

*
Arte: Escultura em madeira de Peter Demetz Tutt'Art@.

Nenhum comentário:

Postar um comentário