quarta-feira, 28 de outubro de 2015

PAIXÂO



PAIXÃO

Quem uma vez na vida,
Já não teve uma paixão.
Daquelas tão atrevidas
Que estranham o coração!


Parecendo um punhal,
Que golpeia sem ter dó;
E apesar de fazer mal
É melhor que estar só!

A paixão é mesmo estranha,
Insensível e insensata;
Suportá-la é uma façanha:
Pois judia e maltrata!

Quem disser com tal firmeza,
Que por ela não sofreu,
Eu afirmo com certeza:
Que a paixão não conheceu!

Roberto Jun

Nenhum comentário:

Postar um comentário